Resenha: Morte Súbita, de J.K Rowling

Oi! A resenha de hoje é feita por duas pessoas: Bruna e Júlio. Decidimos fazer juntos porque nossas idéias são bem parecidas sobre esse livro. Espero que gostem.

Quando Barry Fairbrother morre, em seus meros quarenta anos, a cidade de Pagford é deixada em choque. Pagford é, aparentemente, uma cidade tranquila, com uma praça e uma abadia no meio, mas o que se enterra por detrás desta beleza é uma cidade em guerra. E esta é Pagford: uma cidade pequena, no interior da Inglaterra, que possui os moradores mais amargos possíveis. Quando J. K. Rowling lançou este livro, todos que amam Harry Potter foram loucamente atrás dele (admitimos que fizemos parte disso), com a esperança de acharem resquícios de Harry nas páginas dele... E foi em vão. O livro trata-se de um ninho de cobras, como uma cidade pequena realmente é (se você mora em uma cidade de interior, minúscula, onde todos se conhecem, sabe do que estamos falando). E dizemos isto porque moramos em um ambiente parecido. No universo do livro, existe Pagford: a cidade pequena, o ninho de cobras; Yarvil: a cidade com maior poder aquisitivo ao lado, e, por fim, existe Fields: um dos grandes problemas e o distrito/bairro que ninguém de Yarvil e nem de Pagford querem que seja um "apêndice" da cidade. E era pela inclusão de Fields que Barry lutava, deixando então seu "legado": uns querem continua-lo, outros, destruí-lo. Bom, logo após vieram os personagens, os quais nos apegamos logo no começo pelos seus problemas: os pais que são abusivos, não-presentes, agressores; as velhas porcas que só fofocam dos outros; as pessoas que não tiveram seus sonhos realizados... Não há herói neste livro. As pessoas são comuns, sofredoras, egoístas, dissimuladas e, além de tudo, fracas. E é isto o que torna o livro mágico. Sem contar que, ao decorrer do livro, deparamos com situações que são reais: o poder que o jovem tem na internet (seja positivo ou negativo), a negligência dos poderosos para com quem é menos favorecido, a influência das atitudes dos pais sobre os filhos, e até o bullying. E isto tudo escrito pela fantástica escritora de Harry Potter. Muitos não gostaram do livro, o acharam monótono, mas discordamos: foi um dos melhores livros que já lemos, por ter nos feito refletir em algo que vivíamos ou presenciávamos e não percebíamos. 
A minisérie de tv sairá no ano que vem, ou pelo menos isto é o rumor. Bom, esperamos que sim!